Há ir e voltar

«Não sei como estará a madrugada dentro de umas horas em Poon Hill. Deve estar completamente encoberta. A muralha exuberante das montanhas mais altas do planeta permanecerá ocultada por uma cortina de nuvens. Para muitos caminhantes que chegaram de todo o mundo será uma experiência frustrante. Para mim, uma revelação: volta sempre ao lugar onde foste feliz, Gonçalo. Mas à procura de outros tipos de felicidade, que aconteçam a outras horas do dia.», in 1 Km de Cada Vez, Gonçalo Cadilhe

Diana Vasconcelos, 28 anos e natural de Amarante, desde cedo sentiu necessidade de “mais mundo nos olhos”. A sede de viajar levou-a a trabalhar como babysitter nos Estados Unidos da América e a fazer limpezas numa pastelaria, nas montanhas da Suiça.

Atualmente está no Quénia, a desenvolver um projeto comunitário onde apoia mais de 200 crianças e onde já construiu uma escola, no bairro de Kibera, em 2015.

Para 2016, quer construir outra escola, desta vez na favela de Mathare.

Há ir e voltar. Há dar e amar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s